Da água para o vinho: o processo de abandono de carreira para seguir outra totalmente diferente

7 days ago André Fauth 0

Há algo inesperado acontecendo nos últimos anos e isso têm sido alvo de estudos e de análise. Um número crescente de pessoas estão a deixar para trás seus empregos para se aventurar em um nova carreira.
Sabe-se que construir uma carreira de sucesso não é nada fácil. Antes, era um grande diferencial ter ensino superior, hoje, não passa de uma obrigação. Para conseguir destaque no mercado de trabalho é preciso aliar educação, experiência, competências e habilidades.

Mas, e quando alguém chega na tão sonhada posição de destaque e decide, simplesmente, abandonar tudo e seguir um rumo diferente? Esta é uma situação cada vez mais comum nos dias atuais  e há uma explicação para isso.

Quando questionados, a maioria dos profissionais que optam por essa decisão relatam a dificuldade de encontrar um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Os ambientes corporativos são extremamente exigentes e, em alguns casos, levam consigo a saúde física e mental.

Há diversos casos que exemplificam esta mudança. Marcos Amaro, filho do fundador da TAM, começou cedo na empresa do pai como trainee. Logo após se tornou sócio das Óticas Carol, sendo responsável por grande parte da sua ascensão. E contrariando as expectativas, em 2013 ele decidiu vender tudo e se tornar artista plástico. Segundo ele, ignorar o julgamento alheio é parte fundamental nesse processo.

Priscila Fett é mais um exemplo. Ela deixou de lado a advocacia e diversos cursos no exterior para criar um blog e viver dele. Hoje o blog já é uma marca e vende itens como bonés, mochilas e camisetas. Para ela a motivação da mudança de carreira surgiu ao notar que estava seguindo uma profissão na qual não se identificava.

Outra situação parecida foi a de Eduardo Richard. No entanto, ele não deixou o escritório de advocacia e nem se decepcionou com a profissão, mas se redescobriu na paixão pela cozinha e hoje se divide entre os dois ambientes. Tal gosto o levou a se afastar o escritório no qual trabalhou por 11 anos para participar do Masterchef.

Algo que é sempre comentado entre todos é o quanto é difícil o momento da decisão. As incertezas são o principal motivo de medo e torna a escolha ainda mais complicada.

As profissões tidas como as mais tradicionais, como advogado, médico, dentista, economista, engenheiro, hoje já não são o sonho de consumo dos jovens. Em contrapartida, profissões alternativas ganham mais espaço. Uma das maiores tendências são os trabalhos remotos, que ganham em flexibilidade à rotina, afinal, fugir do trânsito e da correria urbana é uma grande vantagem.

Vale lembrar que planejamento é essencial. A fase de transição pode ser árdua, por isso, é importante contar com uma reserva financeira. Em alguns casos os planos podem não dar certo de primeira, então tenha sempre um plano B e confie na sua decisão. Lembre-se de se atualizar constantemente e buscar por cursos, palestras e tudo o que puder lhe oferecer aprimoramento, seja num blog, na culinária, no marketing ou naquilo que desejar seguir.

Compartilhe esse post!